Alamanaqueiras: ou não queiras.

Alamanaqueiras: ou não queiras.

quinta-feira, 2 de fevereiro de 2017

é muita cara de pau.

Mesa Diretora do Senado tem investigados pela Lava Jato; veja composição

Bernardo Barbosa

Do UOL, em Brasília
  • Roque de Sá - 30.ago.2016 /Agência Senado
    O senador Cássio Cunha Lima (PSDB-PB) integra a nova Mesa Diretora do Senado
    O senador Cássio Cunha Lima (PSDB-PB) integra a nova Mesa Diretora do Senado
O Senado elegeu nesta quarta-feira (1º) os integrantes de sua Mesa Diretora, que terão mandato até fevereiro de 2019. A chapa única que disputava a Mesa foi eleita por 75 votos a 4; 2 senadores não votaram.
Veja quem são os novos membros:
1ª vice-presidência: Cássio Cunha Lima (PSDB-PB)
2ª vice-presidência: João Alberto Souza (PMDB-MA)
1ª secretaria: José Pimentel (PT-CE)
2ª secretaria: Gladson Cameli (PP-AC)
3ª secretaria: Antonio Carlos Valadares (PSB-SE)
4ª secretaria: Zezé Perrela (PMDB-MG)
A eleição no Senado, assim como na Câmara, é secreta e foi feita por meio da urna eletrônica.
Além de Eunício, eleito, concorreu à presidência da Casa José Medeiros (PSD-MT). No entanto, para as demais posições da Mesa, houve chapa única.
Na mesma votação, foram eleitos os secretários suplentes. Os senadores Eduardo Amorim (PSDB-SE), Sérgio Petecão (PSD-AC), Davi Alcolumbre (DEM-AP) e Cidinho Santos (PR-MT) ocuparão as suplências da primeira à quarta-secretaria.
Em seu discurso aos 80 senadores, o senador Eunício prometeu garantir "transparência" e "luta contra a corrupção" caso seja escolhido para o cargo. Eunício, apoiado pelo governo do presidente Michel Temer (PMDB), é citado em delações premiadas da Operação Lava Jato.
"É necessário fazer com que o Senado Federal não perca essa corrente contemporânea da luta contra a corrupção neste país. Temos que assumir o funcionamento do Estado democrático de direito", afirmou.
Além do novo presidente do Senado, citado em três delações na Operação Lava Jato, outros membros da nova Mesa Diretora da Casa também são alvo de denúncias ou têm pendências no STF.
Gladson Cameli (PP-AC) é investigado na Lava Jato, enquanto José Pimentel (PT-CE) é alvo de inquérito na Operação Zelotes.
Já Cássio Cunha Lima (PSDB-PB) é investigado por crimes contra a ordem tributária e formação de quadrilha. Zezé Perrella (PMDB-MG) é acusado de improbidade administrativa pelo Ministério Público de Minas Gerais. Todos negam ter cometido irregularidades.
João Alberto Souza (PMDB-MA), por sua vez, foi convocado para depor como testemunha do ex-senador Gim Argello (PTB-DF), preso na Operação Lava Jato.

Nenhum comentário:

Postar um comentário