Alamanaqueiras: ou não queiras.

Alamanaqueiras: ou não queiras.

segunda-feira, 16 de janeiro de 2017

Quem brincou de princesa, acostumou na fantasia.

         
Luiz Carlos De Oliveira e Silva

RETORNO À ERA PRÉ-VARGAS
1. Não importa que os presidentes da República, da Câmara de Deputados e do STF sejam as nulidades que são.
2. A mediocridade que lhes caracterizam é funcional para a implantação da pauta regressiva ora em curso.

Resultado de imagem para pré-vargas

3. O que importa é levar a cabo o compromisso que FHC assumiu publicamente em seu discurso de despedida do Senado, antes de tomar posse como presidente: virar a página da Era Vargas.

4. O governo golpista de Temer, sustentado por Maia, Carmem Lúcia e grande mídia, sob direção do rentismo e do capital monopolista, quer encerrar o trabalho iniciado por Collor, e aprofundado por FHC, de recondução do país à era pré-Vargas.

5. A pauta regressiva consiste em avançar sobre a previdência social (para garantir a transferência de recursos públicos para o rentismo), sobre a legislação trabalhista (para aumentar a margem de lucro dos empresários).

6. Consiste também em desnacionalizar a cadeia produtiva do petróleo e privatizar a Petrobras e os campos do pré-sal, descaracterizar o Banco do Brasil e o BNDES, destruir o conceito de saúde, educação e saneamento públicos (para abrir campo para novos negócios ao capital monopolista), etc...

7. Os governos de Lula e Dilma, de certa maneira, congelaram o trabalho iniciado por Collor e aprofundado por FHC.

8. Mas, irresponsavelmente seduzidos pelas delícias do poder e lambuzados com o mel das más práticas políticas, desarmaram os movimentos sociais, despolitazarm a luta política, pavimentando, assim, o caminho para o golpe e para a retomada da agenda regressiva.

9. Quem brincou de princesa, acostumou na fantasia.

10. O golpe e a retomada agenda regressiva são o terrível preço que estamos pagando. A luta de classes é implacável. A lamentar que os companheiros, lambuzados de mel, tenham esquecido disto.

Nenhum comentário:

Postar um comentário