Alamanaqueiras: ou não queiras.

Alamanaqueiras: ou não queiras.

sábado, 15 de outubro de 2016

Mano Brown: falando de amor em tempo de estio.

Agora cantor romântico, Mano Brown manda para as redes o clipe 'Amor distante'
Letras intimistas marcam 'Boogie naipe', o primeiro disco solo do rapper do Racionais, prometido para dezembro.

Estado de Minas



O "lado C" de Mano Brown – "C" de coração – começa a chegar às redes. Linha de frente do Racionais MCs e conhecido pelos versos contundentes que o transformaram em ícone do rap brasileiro, Brown divulgou nesta sexta-feira, 14, o primeiro clipe de seu primeiro disco solo, Boogie naipe, com direito a cenas rodadas em Nova York, postado nas redes sociais. Amor distante fala de um sujeito solitário e amargurado depois de perder a amada. 

O álbum, prometido para dezembro, traz repertório romântico, com versos bem diferentes de Negro drama, Artigo 157, Vida loka e Homem na estrada, "pedradas" do Racionais contra o racismo e a desigualdade social. Finalmente, o álbum chegará a público – há mais de três anos Brown promete lançá-lo. 

"Não há mais canção nesse olhar/ Nem amanhã nesse adeus/ Tô desacreditado do amor/ Vou invadir a madrugada/ Te esquecer para não morrer", canta o rapper. O jeito enfezado do autor de Diário de um detento dá lugar ao homem apaixonado – ouve-se até suspiro no início da canção. Brown sai da zona de conforto para se arriscar no universo de Roberto Carlos, Cassiano, Djavan e Fafá de Belém. Um verso diz: "Como o resto de sol no mar/foi assim", lembrando o hit da cantora paraense. Outro presta tributo ao Rei: "Nosso show já terminou". 
 
Sim, existe amor em SP, dá a entender o homem que é ovacionado nos shows do Racionais ao cantar que "em São Paulo/Deus é uma nota de cem". 
 
O disco foi produzido por Brown e pelo cantor e compositor Lino Krizz. Dono de respeitável vozeirão, parceiro de Marisa Monte em Você vai estar na minha e fiel escudeiro do Racionais, Lino, dedicado soulman brasileiro, participa de Amor distante. O clipe, que também tem cenas em São Paulo, foi dirigido por Fabio Iadeluca, que mora em Nova York há mais de 20 anos e já trabalhou com Spike Lee, Martin Scorsese e Robert De Niro. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário