Alamanaqueiras: ou não queiras.

Alamanaqueiras: ou não queiras.

quinta-feira, 27 de julho de 2017

detalhes de um desgaste causado por um aumento de impostos

Planalto tenta blindar Meirelles de desgate; OAB decidir ir à Justiça para barrar aumento de imposto

POR PAINEL

A garantia é ele 

O Palácio do Planalto montou uma operação para tentar blindar o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, que está sob desgaste desde o anúncio do aumento de impostos que incidem sobre os combustíveis. Pessoas próximas avaliam que ele se tornou o foco porque “desgastá-lo é uma forma de desgastar Michel Temer”. Não será tarefa fácil. O presidente da OAB, Cláudio Lamachia, decidiu que a entidade vai entrar na briga para tentar barrar na Justiça o reajuste dos tributos.

A todo vapor 

Lamachia pediu nesta quarta-feira (26) que a área técnica da OAB começasse a montar a peça que vai contestar judicialmente o aumento do PIS/Cofins sobre os combustíveis via decreto.

Tropa de choque 

O Planalto quer dar cabo da versão de que há uma divisão na equipe econômica ou que Meirelles teria perdido força diante da possibilidade real de revisão da meta fiscal.

Moinhos de vento 

“Não existe ministro da Fazenda fraco. Ministro da Fazenda é ministro da Fazenda. E o do Brasil é Henrique Meirelles”, diz Moreira Franco, secretário-geral da Presidência.

Deu ruim igual 

A área técnica da Fazenda havia recomendado que o aumento dos impostos fosse anunciado no dia 1º de agosto, mas o governo decidiu antecipar a notícia para que ela não fosse dada às vésperas da votação da denúncia contra Temer na Câmara.

Não passarão 

O Sindicato dos Servidores Públicos Federais no DF lançou nesta quarta (26) campanha contra o PDV (Programa de Desligamento Voluntário) proposto pelo governo. As entidades que representam a categoria vão fazer reunião no dia 4 para fechar mobilização contra a adesão ao programa.
Tem hora Aliados do senador Aécio Neves (MG) vão defender que o PSDB convoque um congresso nacional em setembro, convenções locais em outubro e a convenção nacional em dezembro, para definir nova direção e anunciar candidato a Presidência em 2018.

Entrelinhas 

Na prática, o grupo ligado ao mineiro sinaliza que ele não pretende renunciar ao comando da sigla antes do fim do ano. Aécio está licenciado da direção do PSDB desde a explosão do escândalo da JBS. Tasso Jereissati é o presidente interino.


Fogo cerrado

O MST vai repetir no feriado de Sete de setembro a série de invasões em fazendas de políticos e empresários. As ações serão concentradas em terras na Bahia, em Pernambuco, em Alagoas, no Pará, no Rio Grande do Sul e no DF.

Na dianteira 

O corretor Lúcio Funaro entregou à Procuradoria-Geral da República os anexos de sua proposta de delação premiada. Com isso, o MPF solicitou novo adiamento de sua transferência da carceragem da PF, em Brasília, para o presídio da Papuda.

À disposição

Os investigadores querem Funaro na PF até o dia 11 de agosto — ele sairia nesta sexta (28). Nesse período, está a postos para prestar depoimentos e fazer esclarecimentos sobre o material que entregou.

Troco likes 

De olho na desenvoltura do afilhado João Doria nas redes sociais, o governador Geraldo Alckmin está em busca de uma empresa para cuidar da comunicação digital de sua gestão. O valor do contrato é de R$ 33.902.831,69.

Reality Show 

O edital, que está em curso, prevê a captação diária, interna e externa, de imagens em vídeo das ações do Estado e a transmissão online de eventos comandados pelo governador.

Venha! 

Após criticar o tucanato, o presidente do PSDB paulistano, Mario Covas Neto, esteve em encontro do Podemos em São Paulo. Foi recebido pelo presidenciável do partido, Álvaro Dias, com um convite para mudar de sigla.

TIROTEIO

A atitude é questionável. O exemplo tem que vir de cima. Não é o momento de buscar aumento, mas de fazer um esforço pelo país.

DE PAULO ZIULKOSKI, presidente da Confederação Nacional dos Municípios, sobre a proposta de reajuste salarial de 16,38% para procuradores.

CONTRAPONTO

Mentiras sinceras me interessam

No segundo volume do livro “Diários da Presidência”, o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso conta que, em 14 de setembro de 1997, um domingo, recebeu no Palácio da Alvorada o elenco de “Guerra de Canudos” para uma exibição do filme. Os protagonistas Cláudia Abreu, Paulo Betti e José Wilker viajaram a Brasília para o evento.

— Foi muito agradável. O Betti e o Wilker são os que mais têm me atacado nas campanhas eleitorais — escreveu Fernando Henrique.

— Mas estavam extremamente simpáticos, o Betti fez até elogios. Sabe Deus até que ponto ele sente isso mesmo, mas me pareceu sincero, sei lá — emendou.

Nenhum comentário:

Postar um comentário