Alamanaqueiras: ou não queiras.

Alamanaqueiras: ou não queiras.

Playlist Almanaqueiras

sábado, 3 de junho de 2017

Droga e livre-arbítrio

Droga e livre-arbítrio 

Helio Schwartsman 


SAO PAULO/ SP, BRASIL, 02-06-2017 : Movimentacao na Praca Princesa Isabel, a nova cracolandia no centro da cidade. (Foto: Zanone Fraissat/Folhapress, COTIDIANO) - ESPECIAL***EXCLUSIVO****

Vários leitores escreveram para criticar minha posição contra as internações compulsórias de dependentes de drogas. Para eles, o vício oblitera o livre-arbítrio dos usuários, tornando-os incapazes de tomar as decisões que melhor atendem a seus interesses. Levá-los para uma clínica, mesmo que contra a sua vontade, seria assim não apenas uma possibilidade lógica como também um dever moral.

Receio que o problema seja mais complexo e nuançado do que pinta essa narrativa. É claro que o dependente tem, em algum grau, sua capacidade para resistir à droga diminuída. Se não tivesse, não estaríamos diante de um quadro patológico. Só que diminuição não é o mesmo que anulação. A literatura mostra que mesmo pacientes cujo grau de dependência seja classificado como severo ainda conseguem tomar decisões racionais em relação à continuidade do uso da droga.

Vários estudos sugerem que, quando o preço da substância sobe, cresce também a procura por tratamento. Um trabalho australiano de 1997 revelou que dois terços dos viciados em heroína que procuraram o programa de substituição por metadona citaram o preço como uma das razões. Carl Hart, de Columbia, foi ainda mais longe e, manipulando a qualidade da droga oferecida, fez com que dependentes trocassem doses "ruins" por uma recompensa futura. Se o bolso e a pureza pesam nesse tipo de decisão, é razoável supor que outros circuitos cerebrais também possam influir.

É justamente aí que se abre uma janela para a atuação do poder público. Se houver níveis razoáveis de confiança entre os pacientes e as equipes de saúde, elas têm uma boa chance de convencê-los a aceitar o tratamento, hipótese em que o prognóstico melhora significativamente. O problema de ações destrambelhadas como a da prefeitura é que elas acabam com qualquer confiança que possa existir. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário