Alamanaqueiras: ou não queiras.

Alamanaqueiras: ou não queiras.
Artrópodes articulando.

sábado, 27 de maio de 2017

são tantas coisinhas ditas...

Em encontro com juristas, Lula diz que Joesley é ‘bandido’ e critica os benefícios de sua delação

POR PAINEL

Agenda comum O ex-presidente Lula promoveu um encontro com dezenas de juristas, nesta quinta (25), para denunciar o que chama de “Estado de exceção”. Repetiu que se sente perseguido e fez duras críticas à nova estrela da crise política, Joesley Batista, que classificou como “um bandido”. 

O ex-presidente rechaçou as acusações do dono da JBS e disse que o acordo que Joesley obteve na Justiça é “um escárnio”. Com o ataque, se soma a Michel Temer, até aqui a principal vítima da delação do empresário.

Novos tempos 

A reunião com advogados e juristas ocorreu em um hotel em SP, a portas fechadas. Todos os convidados deixaram os celulares fora. Os aparelhos receberam uma etiqueta com o nome do dono e só foram devolvidos ao final do ato.

Rir para não chorar

Lula disse que os benefícios que Joesley obteve com a delação eram de “provocar risos” e deu pitaco sobre a crise política. “Prefiro perder dez eleições diretas do que ganhar uma indireta”, afirmou.

Lágrimas 

O ex-presidente chorou ao lembrar da mulher, Marisa Letícia, que morreu este ano. Disse que não se incomoda de depor, mas que é difícil falar sobre ela. Após falar ao juiz Sergio Moro, ele foi criticado por tentar imputar decisões a respeito do tríplex no Guarujá a Marisa.

Até que… 

Após dias de intensa especulação sobre um desembarque conjunto do governo, PSDB, PSD e DEM acertaram que aguardarão juntos e emitindo sinais de apoio ao presidente Michel Temer e às reformas o início do julgamento no TSE.

… a morte…

As cúpulas dos três partidos decidiram manter contato permanente daqui até lá, porém, para monitorar “com atenção” qualquer “fato novo”.

… nos separe 

As siglas pagam para ver se Temer atravessa os próximos dias sem novas “denúncias graves”. Em privado, dão nomes aos bois: querem saber se a delação do ex-assessor de Temer, Rodrigo Rocha Loures, pego correndo com uma mala de dinheiro, vai se concretizar.

Artificial 

O PSDB avalia que Temer conseguirá avançar com a reforma trabalhista na próxima semana, mas minimiza o impacto do gesto e diz que isso já estava precificado. A da Previdência, porém, subiu no telhado, dizem os tucanos.

Me dê motivo 

Na conversa que teve com o presidente Michel Temer, Maria Silvia Bastos reclamou de isolamento dentro e fora do BNDES. O pedido de demissão era esperado, mas o governo criticou o momento escolhido pela economista, que saiu em meio à crise política.

Vai tarde 

A aliados, o presidente da Fiesp, Paulo Skaf, disse que, ao pedir para sair neste momento, Maria Silvia demonstrou que “não tem compromisso com o país”. Ele era um de seus maiores críticos. Ato contínuo, elogiou Paulo Rabello de Castro, que foi escolhido para substituí-la, de quem é próximo.

#Magoei 

O ministro Henrique Meirelles (Fazenda), que se considerava um aliado de Maria Silvia, soube de seu pedido de demissão pelo noticiário. Não recebeu “nem um emoji do WhatsApp”, brincou um amigo.

De grão em grão 

O ministro Aloysio Nunes (Relações Internacionais) comemorou a aprovação de seis acordos internacionais pelo Senado, nesta semana, mesmo com a forte instabilidade política. Dois dos tratados são com a Rússia: cooperação em defesa e convenção para evitar dupla tributação.

Tudo azul 

Apesar da bateção de cabeça entre auxiliares e da dissonância de declarações, o prefeito João Doria (PSDB-SP) continua negando a pessoas próximas qualquer indisposição com o governador Geraldo Alckmin.

Se você diz… Segundo o prefeito, há, no máximo, um “delay de informações”.

TIROTEIO

Donato tem sensibilidade seletiva. Jamais viu como um desastre os crimes e abusos com os quais Haddad conviveu na cracolândia.

DO VEREADOR CAMILO CRISTÓFARO (PSB-SP), sobre a crítica do colega Antonio Donato (PT-SP) à ação do prefeito João Doria na região central de São Paulo.

CONTRAPONTO

Imagina se não fosse

Em outubro de 2012, Joesley Batista, dono da JBS, participou de um seminário sobre os rumos da economia brasileira. O empresário foi convidado a falar sobre o Brasil no cenário internacional.

Em determinado momento de sua palestra, Joesley falava da atuação de sua empresa no exterior.

— Vocês não têm noção do quanto é difícil ter uma fábrica na Rússia. O Brasil é, de longe, o país mais primeiro mundo dos emergentes!
E emendou:
— Lá as coisas não funcionam. Tem muita burocracia e muita corrupção.

Nenhum comentário:

Postar um comentário