Alamanaqueiras: ou não queiras.

Alamanaqueiras: ou não queiras.

Playlist Almanaqueiras

terça-feira, 23 de maio de 2017

fica, assim, comprovado que o bardo não é flor que se cheire.

Áudio sugere que segurança de Aécio tinha chave de aeroporto

Interceptação telefônica feita pela PF registra conversa de Fred, primo preso do senador tucano, na qual ele fala sobre o aeroporto de Cláudio, em Minas


Fabio Leite


Aeroporto de Cláudio, em Minas Gerais. FOTO JOSE PATRICIO/ESTADÃO
Uma interceptação telefônica feita pela Polícia Federal no mês passado flagrou uma conversa de Frederico Pacheco de Medeiros, primo do senador afastado Aécio Neves (PSDB-MG), na qual ele sugere a interlocutor que a chave do aeroporto de Cláudio, município do centro-oeste de Minas Gerais, estaria com um segurança de Aécio.
O aeroporto começou a ser construído pelo governo de Minas durante a gestão de Aécio em uma área que pertencia a um tio-avô seu. A obra foi concluída em 2010, quando o tucano já havia deixado o governo. Ao custo de R$ 13,9 milhões, a pista fica próxima a uma fazenda da família Neves.
Em uma ligação de 13 de abril, interceptada pela PF, Fred diz a um interlocutor não identificado que a chave do aeroporto estaria com o segurança de Aécio.
“Se o Duda tá descendo no avião alguém vai abrir o portão pra ele ou não?”, pergunta o interlocutor não identificado. “Sim, já deve ter aberto… ele já deve ter saído e já deve ter fechado”, responde Fred. “E quem que é essa bênção de pessoa?, continua o interlocutor. “Deve ser o segurança do Aécio”, diz Fred. “Ah, ele tem a chave?”, insiste o interlocutor. “Deve ter.. tô imaginando na condição de alguém for lá abri-lo…Eu não sei nem se vai, mas deve…Passa lá na porta”, conclui Fred.
O diálogo consta de um relatório da Diretoria de Investigação e Combate ao Crime Organizado da PF que foi anexado pela Procuradoria-Geral da República (PGR) ao pedido de abertura de inquérito contra Aécio no Supremo Tribunal Federal (STF) no âmbito da Operação Patmos, a partir da delação premiada feito pelo grupo JBS.
O primo de Aécio foi preso na quinta-feira passada, 18, após ser filmado buscando uma mala com R$ 500 mil em propina da JBS, supostamente a pedido do senador.
Quando o caso do aeroporto de Cláudio foi revelado, em 2014, Aécio admitiu usar as pistas do local quando visitava a fazenda da família na região, mas disse desconhecer o fato de que a chave do portão ficava com sua família. O local é administrado pela prefeitura de Cláudio.
À época, o aeroporto ainda não tinha homologação da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), o que só ocorreu em 2016. Um ano antes, o Ministério Público de Minas Gerais já havia decidido arquivar a investigação sobre a construção do aeroporto alegando que não havia irregularidades nem desvio de finalidade na obra.
COM A PALAVRA, AÉCIO
O tucano, por meio de sua assessoria, disse que a administração do aeroporto é de “responsabilidade do município”.
COM A PALAVRA, A PREFEITURA DE CLÁUDIO
“Sobre o aeródromo, o município de Cláudio tem a esclarecer que:
– Detém a administração do espaço, sendo responsável pela manutenção do mesmo;
– Diferente do que tem sido divulgado pelos meios midiáticos, sua estrutura não é de um aeroporto convencional. Trata-se de uma pista de pouso e decolagem de aeronaves de pequeno porte. A área é cercada e permanece fechada a fim de que animais não adentrem o espaço.
– As chaves do aeródromo ficam na Prefeitura e apenas a Associação de Aeromodelismo de Cláudio-MG possuía cópia, já que o espaço era cedido até o dia 05 de maio deste ano por meio de convênio para fins de demonstração prática do aeromodelismo e exposição de aeromodelos para a população claudiense;
– O Município desconhece o teor de tal interceptação telefônica envolvendo o primo de Aécio Neves devido ao fato de jamais ter cedido cópias das chaves do aeródromo para qualquer cidadão. A utilização do espaço advém de autorização e liberação prévias do Município. Qualquer procedimento diferente não é de seu conhecimento.”

Nenhum comentário:

Postar um comentário