Alamanaqueiras: ou não queiras.

Alamanaqueiras: ou não queiras.

Playlist Almanaqueiras

sexta-feira, 24 de março de 2017

Meu casamento é uma farsa.

Casais felizes não expõem a vida nas redes sociais 

Mariliz P Jorge 




Meu casamento deve ser um fracasso, segundo a conclusão de um desses estudos sobre comportamento humano. Ele diz que casais realmente felizes vivem em harmonia o aqui e o agora, não têm necessidade de dar provas públicas de amor, não precisam de aceitação e aprovação de terceiros e, por fim, não são inseguros.

Minhas redes sociais são entupidas de fotos nossas em inúmeras situações. Em todos os lugares da casa, ao acordar, cozinhando, de férias, no nosso casamento na Tailândia, no carnaval, na praia, no sofá vendo TV e selfies, muitas selfies, eu o obrigo a fazer selfies. Ele detesta. Como não me dei conta que havia algo de errado com um homem que não gosta de selfies com a própria mulher?

Meu casamento é uma farsa.

Eu achava que era feliz, mas sou apenas insegura e carente, segundo a tal pesquisa. Estou perdida. Quem ficará com o gato? Agora tem muitas fotos do gato no Instagram. Posto as fotos e marco o marido, claro, apenas para mostrar que somos uma família muito feliz e completa, e não porque estamos felizes e temos vontade de registrar e dividir esses momentos com amigos e familiares. Como não tinha percebido antes?

Eu pensava que, depois de ter me relacionado com tanto homem errado e ter sido profundamente infeliz, seria bastante normal compartilhar a felicidade que sinto por dividir a vida com um companheiro bacana, mas segundo o estudo é tudo mentira e eu apenas uso as redes sociais como um Rivotril virtual. Posto uma foto nossa, meu coração se acalma, porque acredito que nosso amor se fortalece. Cada foto do casalzinho-ostentação é um lembrete para o mundo de que aquele relacionamento existe. É um 'xô, periguete', que esse macho aqui tem dona.

O que falta agora para os pesquisadores decretarem minha mais profunda infelicidade? Trocar minha foto do perfil por uma de nós dois? Quem sabe abrir uma conta-conjunta no Facebook e acabar com qualquer indício de que nosso relacionamento seja sólido e promissor.

Imagine a felicidade quando ele trocou o status de relacionamento para "sério". Muito mais do que quando me apresentou à família. Um marmanjo daquele não precisa da aprovação da mãe para namorar alguém, mas quando aparece lá, bem grandão, "em um relacionamento sério com a fulana" para todo mundo ver é a glória. E quando ele compartilha meus posts e me chama de "patroa"? Tenho vontade de correr para a cozinha e fazer o almoço.

Agora é esperar o restinho de tempo que ainda nos resta, antes que ele também leia essa pesquisa e perceba o quanto não somos felizes, que todas essas fotos em que estamos escandalosamente felizes são apenas marketing de uma relação fadada ao fracasso, que essa saudade que me atormenta nessas semanas em que ele está longe é só carência, que tudo o que construímos juntos não tem alicerces profundos, que todos os dias quando a gente se olha e diz o quanto se ama é só delírio, porque uma pesquisa disse que casais que não se expõem nas redes sociais são mais felizes e a gente faz tudo exatamente ao contrário.

Quem vai ficar com o gato?

Nenhum comentário:

Postar um comentário