Alamanaqueiras: ou não queiras.

Alamanaqueiras: ou não queiras.

Playlist Almanaqueiras

sexta-feira, 20 de janeiro de 2017

Viva São Sebastião

SÃO SEBASTIÃO.
Dia 20 de Janeiro é o dia de São Sebastião.


     
José Alves Pereira Filho

Resultado de imagem para são sebastião

Dizem ter sido “...um soldado que teria se alistado no exército romano por volta de 283 d.C. com a única intenção de afirmar o coração dos cristãos, enfraquecido diante das torturas. Era querido dos imperadores Diocleciano e Maximiano, que o queriam sempre próximo, ignorando tratar-se de um cristão e, por isso, o designaram capitão da sua guarda pessoal, a Guarda Pretoriana. Por volta de 286, a sua conduta branda para com os prisioneiros cristãos levou o imperador a julgá-lo sumariamente como traidor, tendo ordenado a sua execução por meio de flechas (que se tornaram símbolo constante na sua iconografia). Foi dado como morto e atirado no rio, porém, Sebastião não havia falecido. Encontrado e socorrido por Irene (Santa Irene), apresentou-se novamente diante de Diocleciano, que ordenou então que ele fosse espancado até a morte. Seu corpo foi jogado no esgoto público de Roma. Luciana (Santa Luciana, cujo dia é comemorado a 30 de Junho) resgatou seu corpo, limpou-o, e sepultou-o nas catacumbas”.

Esta data me faz lembrar de minha vó paterna, Chiquinha, pois como devota do Santo fazia, todo dia 20 de Janeiro, em sua casa, novena.

A devoção dela se justificava, por ter sido vítima de uma brutalidade de vovô, que ao chegar em casa, bêbado, insinuou que ela o traía. Não se fazendo de rogada retrucou dizendo que ele era sim “corno, corno, três vezes corno, tabaqueiro dos cornos”.

Acordou nos braços do Dr. Otacílio Jurema, o qual conseguiu costurá-la das quatorze facadas que lhes foram deferidas na região da barriga.

Nós saíamos de casa a pé boca da noite e após a caminhada de quase 1,5 km, exaustos, íamos bebera água fria, guardada no pote.

Assistíamos àquelas rezas e recordo que eu e os irmãos menores (Luciano, Jacinta e Marcos), ao ouvirmos as ladainhas e os cantos chorosos ( Ah nós descei, Divina Luz!/ Ah nós descei, Divina Luz!/ Em nossas almas acendei/ O amor, o amor de Jesus!), pegávamos no sono, só despertados quando ela nos servia ki-suco de groselha, com bolacha Maria.

Encerrada a solenidade, voltávamos para nossa casa felizes e satisfeitos.

Como bem disse Drummond “Há duas épocas na vida, infância e velhice, em que a felicidade está numa caixa de bombons”.

Acredito que meu bombom era aquele ki-suco, a bolacha, o canto triste de minha vó, cuja tristeza, sem dúvida, reportava-se às facadas de que um dia fora vítima.

Nenhum comentário:

Postar um comentário