Alamanaqueiras: ou não queiras.

Alamanaqueiras: ou não queiras.
Artrópodes articulando.

sábado, 10 de dezembro de 2016

Com codinome de “Todo Feio”, Inaldo Leitão é o 1º paraibano citado na lista de delator

                       

ODEBRECHT: Sousense ganha apelido “Todo Feio” e é destaque na imprensa nacional

                           
O ex-deputado federal Inaldo Leitão é o 1º paraibano a aparecer na lista revelada pelo delator de Odebrecht, Cláudio Melo Filho, divulgada essa semana. O fato foi divulgado nacionalmente e já ganha grande repercussão.
Nessa primeira “leva”, 36 políticos foram citados entre os beneficiários de propina.
O paraibano tinha, segundo o delator, o codinome de “Todo Feio”. Ele aparece na lista como tendo recebido a “bagatela” de R$ 100 mil.
No acordo de delação premiada, o ex-diretor da empreiteira citou tanto políticos governistas, quanto oposicionistas
No chamado anexo que contém os resumos do que será tratado na colaboração, Mello Filho promete relatar em detalhes aos investigadores sua relação com os principais integrantes da cúpula do PMDB, atingindo em cheio o núcleo duro do governo Michel Temer.
Em trechos divulgados pela imprensa nacional, Mello Filho contou também que foi acertado pagamento de R$ 10 milhões por Marcelo Odebrecht ao PMDB, em jantar no Palácio do Jaburu que teve em maio de 2014 com Temer e peemedebistas. Parte dos recursos foi entregue em dinheiro vivo no escritório de advocacia de José Yunes. Trechos dos anexos da colaboração do executivo foram revelados pelo site Buzfeed.
No anexo da colaboração, consta a seguinte lista, com nomes e codinomes:
Michel Temer R$ 10 milhões
Anderson Dornelles (ex-assessor de Dilma) – Las Vegas – R$ 350 mil
Antônio Brito (deputado) – Misericórdia – R$ 430 mil
Arthur Maia (deputado) – Tuca – R$ 600 mil
Ciro Nogueira (senador) – Cerrado // Piqui – R$ 5 milhões
Delcídio do Amaral (ex-senador) – Ferrari – R$ 550 mil
Duarte Nogueira (prefeito) – Corredor – R$ 600 mil
Eduardo Cunha (ex-deputado) – Caranguejo – R$ 7 milhões
Eliseu Padilha (ministro) – Primo – teria negociado recursos para Temer
Eunício Oliveira (senador) – Índio – R$2,1 milhões
Geddel Vieira Lima (ex-ministro) – Babel – R$ 1,5 milhão
Gim Argello (ex-senador) – Campari – R$ 1,5 milhão
INALDO LEITÃO (EX-DEPUTADO) – TODO FEIO – R$ 100 MIL
Jaques Wagner (ex-ministro) – Polo – Ao menos R$ 9,5 milhões
José Agripino (senador) – Gripado – R$ 1 milhão que teriam sido solicitados por Aécio Neves.
Katia Abreu (senadora) – Teria acertado ajuda financeira com Marcelo
Lúcio Vieira Lima (deputado) – Bitelo – entre R$ 1 milhão e R$ 1,5 milhão
Marco Maia (deputado) – Gremista – R$ 1,3 milhão
Moreira Franco (secretário) – Angorá
Renan Calheiros (senador) – Justiça – Teria sido beneficiado por parte dos R$ 22 milhões do PMDB
Rodrigo Maia (deputado) – Botafogo – R$ 100 mil
Romero Jucá (senador) – CAJU – principal articulador do PMDB
** Senador Romário (foi pedida contribuição para sua campanha, mas a empresa não fez)
** Ministro Bruno Araújo (tratamento institucional, sem referências a pagamentos)
Adolfo Viana (BA) – Jovem – R$ 50 mil
Lídice da Mata (BA) – Feia– R$ 200 mil
Daniel Almeida (BA) – Comuna – R$ 100 mil
Paulo Magalhães Júnior (BA) – Goleiro – 50 mil
Hugo Napoleão (PI) – Diplomata – R$ 100 mil
Jutahy Magalhães (BA) – Moleza – R$ 350 mil
Francisco Dornelles (RJ) – VELHINHO – R$ 200 mil
Carlinhos Almeida – R$ 50 mil
João Almeida – R$ 500 mil na campanha de 2010
Rui Costa – R$ 10 milhões
Paulo Skaf – teria sido beneficiado com R$ 6 milhões da verba acertada com Temer

Nenhum comentário:

Postar um comentário