Alamanaqueiras: ou não queiras.

Alamanaqueiras: ou não queiras.

Playlist Almanaqueiras

sexta-feira, 21 de outubro de 2016

fascistas não passarão: na Espanha.

 Derrubada a estátua de Franco instalada nas ruas de Barcelona
Prefeitura de Barcelona retirou os destroços do monumento esta madrugada

ALFONSO L. CONGOSTRINA - El País

Um grupo de pessoas contempla a estátua de Franco derrubada.

Três indivíduos derrubaram na noite de quinta-feira a estátua decapitada de Franco que desde a segunda-feira era exibida em Barcelona dentro da mostra Franco, Victòria, República, Impunitat i Espai urbà no Born Centre Cultural i Memória (BCCM) de Barcelona. Nos últimos dias, foi feito de tudo com a escultura: atiraram ovos, colocaram uma cabeça de porco e até foi vista acompanhada de uma boneca inflável. Finalmente, ela foi quebrada e, minutos depois de 1h desta sexta-feira, uma brigada da Prefeitura de Barcelona retirou o que sobrava do monumento.

Foram necessários dois caminhões dos serviços municipais de meio-ambiente para retirar a obra de Josep Viladomat. Primeiro os trabalhadores carregaram em um pequeno veículo o que restava da figura do corpo do ditador. Testemunhas aplaudiram ao ver a escultura pendurada e alguns jovens abriram uma garrafa de champanhe. Depois foi a vez do cavalo, introduzido na parte de trás de um caminhão maior. Depois das 2h não havia nenhum vestígio da polêmica figura decapitada.

Tudo começou pouco depois das 22h (18h em Brasília). Três jovens pularam uma barreira de meio metro de altura que protege as esculturas da mostra e, de acordo com fontes presentes, fizeram uma alavanca na estátua de Franco até jogá-la no chão. A figura bateu na calçada e quebrou em vários pontos. No momento em que aconteceu a sabotagem, a escultura do caudilho exibia uma bandeira com as cores do arco-íris, o símbolo que identifica o movimento de independência LGTBI.

Dentro do BCCM dois vigilantes estavam gravando os três vândalos pelas câmeras do interior do centro. Após o impacto com o solo os três deixaram o lugar correndo e uma patrulha da Guarda Municipal de Barcelona conseguiu deter um deles. Depois de ser identificado, acabou liberado. A polícia abriu uma investigação para tentar identificar os outros dois homens que foram filmados pelas câmeras de segurança.

Minutos depois da derrubada da escultura dezenas de pessoas se reuniram perto do Born com uma mensagem comum: “Isso ia acontecer. O que esperavam!”. Os perfis de Twitter de vários políticos da oposição, que se opunham à exposição, inflamavam ontem as redes sociais com críticas à equipe de governo de Colau. Por seu lado, a Prefeitura não tinha avaliado ontem à noite se poderá restaurar a estátua equestre.

O final antecipado da exposição da escultura de Franco era previsível no momento em que foi colocada na via pública. O primeiro que jogou meia dúzia de ovos contra a figura do ditador foi um conhecido ativista da independência, Ernest Sant. O homem, de 48 anos, fez o vandalismo apenas alguns minutos após a instalação da estátua. Ele foi identificado, mas os próprios agentes da Guarda Municipal informaram que se o BCCM não apresentasse nenhuma queixa contra ele, sua atuação ficaria impune. O BCCM não fez nenhuma denúncia. “Acertei quatro dos seis ovos que joguei”, contou orgulhoso o próprio Sant dois dias depois, quando foi com milho até a estátua para “atrair pombas que caguem nela”. O independentista baseava sua ação no fato de que a figura decapitada exposta ali o incomodava e que recebeu desde o primeiro dia impactos de legumes, ovos e muita tinta branca e vermelha. A Prefeitura decidiu não limpar a obra. Ela passou quatro noites com bandeiras, símbolos, etiquetas e até mesmo um jovem colocou no colo do ditador uma boneca inflável por alguns minutos.

No dia 19, alguns estudantes de geografia da Universidade de Barcelona foram para a praça com uma dúzia de ovos e começaram a jogá-los enquanto o vigilante do BCCM apenas acompanhava a ação. Até alguns turistas em cima de segways se aproximaram e aderiram ao lançamento de ovos.

Nunca uma exposição ao ar livre causou tanta expectativa em Barcelona. Na manhã de quinta-feira, alguém colocou uma cabeça de gesso com os lábios pintados travestindo o ditador. Horas antes, outra pessoa colocou uma cabeça de porco no lugar onde deveria estar a cabeça de Franco.

A escultura foi desenhada por Josep Viladomat em 1963 e instalada no castelo de Montjuïc. Em 1985, ativistas lançaram tinta rosa sobre a figura do ditador e ela foi transferida para o museu militar. Em 2008, foi levada para um armazém municipal, onde em 2013 alguém, que nunca foi identificado, decapitou a figura.

Nenhum comentário:

Postar um comentário