Alamanaqueiras: ou não queiras.

Alamanaqueiras: ou não queiras.

Playlist Almanaqueiras

quinta-feira, 3 de agosto de 2017

a professora de direito da USP fez mais do que reforçar o encurtamento da teoria dos seis graus de separação.

 E se Janaina Paschoal pudesse fazer como Neymar?

Roberto Dias 



"Presidente Trump, meu nome é Janaina Paschoal. Eu sou um dos advogados que pediram o impeachment da presidente Dilma. As sanções que seu governo impôs não são suficientes, os EUA precisam parar de comprar derivados de petróleo da Venezuela. O senhor tem obrigação moral de fazer mais pela Venezuela! Espero ouvir uma resposta em breve."

Com uma sequência de tuítes, a professora de direito da USP fez mais do que reforçar o encurtamento da teoria dos seis graus de separação.

Ela também abriu espaço para imaginar como seria se os atores da política pudessem atuar em diferentes países, circular pelo mundo com a mesma desenvoltura de Neymar ao trocar Barcelona por Paris.

Michel Temer, por exemplo. Se estivesse na Casa Branca, provavelmente a extinção do Obamacare já teria passado voando pelo Capitólio —nenhum presidente deve adoçar mais os parlamentares do que ele.

No exercício de realismo fantástico, daria para imaginar Maduro no Brasil. O venezuelano acabaria como uma mistura de sindicalista com Tiririca, condenado a ser, com sorte, um deputado folclórico e lateral.

Já Kim Kataguiri, americano fosse, poderia ser condecorado por Trump com a Comenda Fake News —está aí uma cerimônia divertida e honesta.

É uma pena que o mundo não seja assim de fato. A política se revela bem menos transnacional do que gostamos de crer que ela é, por mais que as aventuras da família Trump entretenham gente dos cinco continentes (no subterrâneo a história é outra, como comprova o esquema latino da Odebrecht).

Mesmo aquele que Obama definiu como "o político mais popular do mundo" não conseguiu carreira internacional. Lula já pretendeu comandar a ONU e o Banco Mundial. Hoje tudo o que quer é não parar em Curitiba. Pudesse viver em Caracas, quem sabe o petista teria mais chance de continuar em campo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário