Alamanaqueiras: ou não queiras.

Alamanaqueiras: ou não queiras.

Playlist Almanaqueiras

quinta-feira, 29 de junho de 2017

não dar pra confiar no conteúdo entregue pelo carteiro.

'Número três' do Vaticano é acusado de crimes sexuais na Austrália

Cardeal George Pell no Vaticano, em foto de março de 2013


O cardeal australiano George Pell, tesoureiro do Vaticano –o terceiro cargo mais importante na hierarquia da Santa Sé– foi acusado nesta quarta-feira (28) de múltiplos crimes sexuais pela polícia de seu país. Pell, 76, torna-se a mais importante autoridade da Igreja a enfrentar acusações dessa natureza.

O vice-comissário da polícia do Estado australiano de Vitória, Shane Patton, disse que a polícia convocou Pell para comparecer perante um tribunal de Melbourne, onde enfrentará múltiplas acusações de "crimes sexuais históricos", cometidos no passado. Pell deverá se apresentar ao tribunal em 18 de julho.

O cardeal sempre negou as acusações de abuso feitas contra ele. A arquidiocese de Sidney informou na noite desta quarta-feira (28) que o cardeal retornará à Austrália para poder se defender.

"É importante observar que nenhuma das alegações feitas contra o cardeal Pell, obviamente, foi ainda examinada em qualquer tribunal", disse Patton a jornalistas em Melbourne. "O cardeal Pell, como qualquer outro réu, tem direito ao devido processo legal".

A Austrália não tem tratado de extradição com o Vaticano, assim, segundo especialistas, haveria dois desfechos prováveis para o caso: ou Pell voluntariamente retorna à Austrália para enfrentar as acusações, como foi anunciado, ou o Vaticano teria de pressioná-lo a isso.

As acusações contra Pell são um novo e duro golpe contra o papa Francisco, cuja política de "tolerância zero" com relação a abusos sexuais praticados por membros da igreja já sofreu abalos.

Durante anos, Pell enfrentou alegações de que teria encoberto casos de abuso praticados por religiosos quando era arcebispo de Melbourne e, mais tarde, de Sydney.

O cardeal já havia se apresentado três vezes perante uma comissão, uma vez pessoalmente e outras duas em vídeo, durante as quais ele admitiu ter falhado ao lidar com padres pedófilos no Estado de Vitória nos anos 1970.

No ano passado, Pell reconheceu, num dos depoimentos à comissão, que a Igreja cometeu "enormes erros" ao permitir que milhares de crianças fossem estupradas e molestadas pelos sacerdotes. Ele admitiu que também errara ao ter acreditado nos sacerdotes, e não nas pessoas que se diziam vítimas. Mais recentemente, contudo, o próprio Pell tornou-se o foco das investigações de crimes sexuais, com detetives indo ao Vaticano para interrogá-lo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário